o que faz um programador

25-03-2020

O que faz um programador: aprenda tudo sobre a profissão

Você sabe o que faz um programador? Descubra as principais atividades dos programadores, como iniciar esta carreira e o que fazer para se dar bem na profissão.

 

Programadores são um mistério.

Todo mundo acha que entende o que eles/elas fazem. Mas poucos sabem como se tornar um. Quase todo profissional vai precisar de um programador/desenvolvedor ao longo da carreira. Mas ninguém encontra.

Waldo GIF - Find & Share on GIPHY

Mas afinal, o que faz um programador? O post de hoje é sobre isso. Vamos falar como se tornar esta pessoa tão misteriosa e tão requisitada no mercado.

 

O que faz um programador? (na prática)

_Definir_ O que faz um programador __Definir_

A complexidade em explicar o que faz um programador se dá pela amplitude, ramificações e diversas possibilidades de ingressar na carreira. Nós já vamos te explicar de uma maneira prática, mas para quem gosta de textos estilo dicionário, segue um “copy+paste” da  Wikipedia:

 

“programador, desenvolvedor, codificador ou engenheiro de software é alguém que escreve, desenvolve ou faz manutenção de software em um grande sistema ou alguém que desenvolve software para uso em computadores pessoais.“

 

Fez sentido pra você? Tomara que sim! Mas vamos tentar ser mais didáticos.

Programadores desenvolvem basicamente tudo que envolve softwares, bancos de dados e sistemas. Quer um exemplo? O Google. Quer outros? O Face, o Insta, o Whats e todos os apps, programas e plugins dentro do seu notebook ou smartphone. Desde o navegador, passando pela calculadora, até os apps de encontros e redes sociais.

A galera se perde em explicar o que é um programador, ou o que ele/ela faz, porque desenvolver este tipo de “coisa” é super complexo. Pegue o Google por exemplo, rapidamente, podemos dividir a plataforma entre o site que você vê, o app (em cada tipo de celular), o banco de dados por trás disso, o sistema de troca de informações… a lista vai longe. Bem longe. Tanto que provavelmente milhares de programadores trabalham na empresa, nos mais diversos setores.

Neste sentido, você pode encontrar um programador “back end” (que lida com o que está por trás de um site, como integrações e bancos de dados), “front end” (que dá vida à interface e faz tudo aparecer, bem bonitinho), “full stack” (que sabe de tudo um MUITO), e mais: “especialista em Android”, “especialista em iOS”, “especialista em banco de dados”, “especialista em segurança da informação”. De novo, a lista vai super longe. E a cada nova tecnologia, mais ela cresce.

 

Como falar isso em uma linguagem mais acadêmica:

Normalmente, em uma linguagem didática, você vai encontrar estas grandes divisões nas áreas de atuação de um programador:

  • Desenvolvimento de softwares: é a “casca”, as funcionalidades de um sistema, programa, app, site. É como se fosse programar o Facebook sem nenhum perfil, foto ou post publicado. Ou então, um navegador de internet, sem o seu histórico, os seus cookies, ou os seus “favoritos” salvos.
  • Banco de Dados: o armazenamento de informações que este sistema/software carrega. Por exemplo: seu nome, seus dados, suas fotos, dependendo da empresa, sua vida inteira (!)
  • Sistemas de rede: a manutenção e programação de redes de computadores integradas, como em uma escola, empresa, ou órgão da prefeitura, onde as informações estão integradas em todos os computadores.

Mas não se apegue tanto. As áreas se ramificam e cruzam entre si. Um especialista sabe TUDO sobre o seu campo de atuação. Enquanto um gerente de projetos, por exemplo, entende as principais características de TODAS as especializações.

Basicamente, o que você precisa saber agora é que os programadores são profissionais altamente requisitados, e que podem participar de todos os tipos de projetos. A melhor forma de entender as particularidades da profissão é começando. Aqui vamos falar como você pode fazer isso.

 

Como se tornar um programador

Existem várias maneiras de se tornar um programador. Você pode inclusive, acessar este link do WikiHow e começar. Sério mesmo. Muito dos programadores são autodidatas, e aprendem a maioria dos seus conhecimentos sozinhos, apenas “brincando”, pesquisando e testando.

Mas, eventualmente, se você quiser atingir voos mais altos nesta carreira, será necessário ingressar em algum curso de especialização, ou obter um diploma. Pode ser faculdade, tecnólogo, cursos rápidos, cursos presenciais. Enfim, felizmente, temos muitas opções para aprender mais sobre o ramo.

O ideal é começar pelo básico, e obter um bom conhecimento de todas as matérias da profissão: Hardware, software, lógica, código, banco de dados, linguagens de programação (existem várias). Conforme você vai aprendendo, vai entendendo o que mais gosta, por qual caminho quer seguir e quais conhecimentos específicos deveria buscar.

O caminho universitário ou de cursos tecnólogos é interessante justamente por isso. Embora existam diversos cursos, falamos deles logo abaixo, a maioria apresenta a mesma base inicial, com um conhecimento geral, e, conforme o aluno vai evoluindo, aprende mais sobre conhecimentos específicos.

Aqui estão os principais cursos para quem quer estudar programação mais afundo, seja no tecnólogo ou na faculdade. Você encontra estes e outros exemplos no nosso Guia das Profissões de Exatas.

Guia de Ciências Exatas Facebook

  • Tecnólogo de Análise e Desenvolvimento de Sistemas
  • Tecnólogo de Processamento de Dados
  • Faculdade ou tecnólogo de Sistemas de Informação
  • Faculdade de Ciência da Computação (saiba mais sobre o curso neste link)

 

Qual a diferença entre Sistemas de Informação e Ciência da Computação

Para quem quer ingressar na faculdade, muitas vezes pode surgir a dúvida sobre qual curso é mais indicado. Como falamos anteriormente, a base de ambos é semelhante. Porém, em Sistemas de Informação o aluno aprenderá mais sobre como desenvolver sistemas de troca de informação, como um programa de um banco, por exemplo; Já em Ciência da Computação, o aluno terá um background maior relacionado ao desenvolvimento de softwares, programas e aplicativos.

 

Qual o perfil de um programador

Quando falamos em perfil de programador, logo vem aquele estereótipo de um jovem nerd, de óculos, apaixonado por games e cultura geek. Brincadeiras de lado, o perfil de um profissional da área é muito mais amplo que isso.

Quando nos referimos a competências e características comportamentais, é correto afirmar que bons profissionais têm um perfil analítico e atento aos detalhes. Além disso, podemos citar algumas outras características de um bom profissional:

  • Está sempre atento às novidades
  • É autodidata
  • Tem raciocínio lógico
  • Gosta de resolver problemas
  • Esforçado
  • Paciente
  • E, claro, gosta de tecnologia

 

Como se tornar um bom programador

A profissão de programador é repleta de possibilidades. Mas você não vai alcançar as melhores se não começar pelo básico. E essa é nossa primeira dica. Comece pelo conteúdo geral, como falamos anteriormente, aprenda a fazer um site básico, um sistema, enfim. Crie uma base de conhecimento e siga o caminho que te parecer mais interessante e gratificante. Feito isso, aqui estão algumas dicas.

 

Estude!

Programação não é uma profissão para acomodados. Você precisa ficar atento às novidades do mercado e tentar aprender. Estudar pode ser simplesmente ler um fórum na internet e aprender um conhecimento específico. Mas também envolve ler livros e investir dinheiro em alguns cursos. Quando mais você sabe, melhor. Independente do caminho que seguir.

 

Escolha um objetivo para sua carreira

Após entender mais sobre as particularidades da programação, uma dica interessante é criar um objetivo para carreira. Você quer se tornar o CTO de uma startup? Quer se tornar o diretor de TI de uma grande empresa? Quer ter a sua própria empresa? Quer ser o melhor programador de aplicativos iOS? Quer trabalhar com nuvem e sistemas de informação de dados? Quer ser pioneiro em campos como IOT (internet das coisas) ou inteligência artificial?

Defina onde você quer chegar, e ficará mais claro quais conhecimentos você vai precisar buscar. Talvez você tenha que se tornar um grande expert em determinada tecnologia, talvez você tenha que desenvolver seu lado líder e aprender sobre gestão de pessoas e projetos. Quanto antes você tiver um gol definido, mais cedo vai estar pronto para alcançá-lo.

 

Aprender sobre Metodologias Ágeis

A Metodologia Ágil é um método de trabalho desenvolvido para que empresas/equipes consigam lançar um projeto/software o mais rápido possível, assim como testa-lo e otimiza-lo constantemente. Na maioria das empresas com um alto número de profissionais de TI, é este o método que define as rotinas e objetivos de uma equipe. Por isso, para conseguir boas entrevistas, em empresas com boa remuneração, é interessante ter conhecimento sobre como isso funciona. Assista este vídeo e entenda um pouco melhor sobre o que estamos falando.

 

Aprenda inglês

As linguagens de programação são todas em inglês. Isso, por si só, já é um bom motivo para aprender a língua. Mas não para por aí. Como muitos programadores trabalham em multinacionais, em alguns casos a língua inglesa torna-se requisito básico para contratação, em função da comunicação interna. Além disso, para quem pensa na possibilidade de morar fora do país, o setor de TI é um dos que mais contrata e aplica para vistos. Neste caso, o idioma ganha ainda mais relevância.

 

Quanto ganha um programador

Programadores são altamente requisitados no mercado. Assim sendo, o mercado oferece boas oportunidades de salário. Claro, tudo varia muito conforme a cidade em que você está, o setor da empresa, a sua especialização, e, principalmente, o cargo. Segundo o site vagas, um programador formado recebe em média R$ 2.774,00. Porém, programador não é exatamente um cargo, e sim uma maneira bem geral de se referir aos profissionais de TI. Analisando os salários de um Analista de Sistemas, por exemplo, o mesmo portal vai definir uma média entre R$ 3.312,00 e R$ 7.301,00. Quando alcança cargos mais altos de gestão, agora segundo o portal Guia da Carreira, o salário pode superar até mesmo os R$ 50mil.

 

E aí, está pensando em se tornar um programador? Então fique sempre de olho no nosso blog. Semanalmente postamos dicas sobre profissões de Ciências Exatas, e aquelas ligadas à tecnologia são as nossas favoritas 😀